Catarata pode atingir todas as faixas etárias

Quando se fala em catarata, muita gente acredita que a doença acomete somente os idosos. Todavia, crianças, adolescentes e adultos também podem ser vítimas. Além da catarata senil, existem outros cinco tipos: congênita, inflamatória, medicamentosa, metabólica e traumática.

A catarata é uma doença ocular causada pela opacificação do cristalino, lente natural do olho responsável pela focalização da luz sobre a retina. “Quando o cristalino se torna opaco, a luz não chega à retina em quantidade suficiente, o que prejudica a qualidade da visão. Com o passar do tempo, a catarata pode se agravar até causar cegueira”, explica o oftalmologista Hilton Medeiros, da Clínica de Olhos Dr. João Eugênio.

A doença é mais comum a partir dos 50 anos e acomete todas as pessoas, mas em graus diferentes. A catarata também pode ser provocada por infecções na vida adulta, uso de medicamentos como cortisonas, além de traumas, como socos ou batidas fortes na região dos olhos. Há ainda casos de crianças que já nascem com a doença, geralmente filhos de mães que tiveram rubéola ou toxoplasmose no primeiro trimestre da gestação.

O único tratamento para catarata é o cirúrgico. “O procedimento substitui o cristalino danificado por uma lente artificial que recuperará a função perdida. O cristalino pode ser retirado inteiro ou por facoemulsificação (um aparelho que tritura e aspira o cristalino), que tem a vantagem de exigir corte menor e menos suturas”, afirma o médico, que já realizou mais de 15 mil cirurgias de catarata. As lentes implantadas são definitivas e não precisam ser trocadas, a exemplo de outras próteses. O índice de recuperação satisfatória da visão chega a 90% dos casos.

Mesmo nos casos de cegueira provocados pela doença, a visão é recuperada após a cirurgia. No entanto, se catarata evoluir muito e o cristalino crescer demais, ganhando um volume maior, o paciente pode contrair um glaucoma secundário e, consequentemente, uma cegueira irreversível, alerta Hilton Medeiros.

Apesar de não existir nada que possa prevenir a catarata, cuidados como uma boa alimentação e o uso de óculos escuros com proteção ultravioleta podem ajudar a retardar o seu aparecimento.

Confira os tipos de catarata:

Catarata Congênita: é aquela que está presente no portador desde seu nascimento. Em geral, ocorre quando a gestante sofre de rubéola no início da gravidez e também pode ser hereditária.

Catarata Inflamatória: inflamações intraoculares podem ocasionar catarata. Para evitar esta complicação, o ideal é consultar um oftalmologista sempre que notar algo diferente nos seus olhos ou na sua visão. Dor, vermelhidão, cansaço visual e sensibilidade à luz pode ser sinal de que algo não vai bem.

Catarata Medicamentosa: todo medicamento tem em sua fórmula substâncias específicas para tratar um determinado problema. Pessoas que usam remédios por conta própria, sem a recomendação de um médico, estão arriscando a saúde. Alguns medicamentos, que têm em sua composição um elemento chamado corticóide, em longo prazo ou em excesso, podem propiciar o surgimento da catarata.

Catarata Metabólica: alterações do metabolismo como diabetes, colesterol alto, doenças do fígado, hormônios também podem levar a formação de catarata.

Catarata Traumática: agressão física, grandes quedas e acidentes automobilísticos são exemplos de situações críticas que podem ocasionar este tipo de catarata. Por isso, ao passar pelas situações citadas ou similares, consulte um oftalmologista.

Catarata Senil:  em função do envelhecimento, o cristalino perde suas características (transparência e mobilidade) dando origem à catarata.